“Eu sempre usei a escrita para afogar as minhas mágoas mais profundas”

Essas foram as palavras da jovem escritora, Mirian de Deus, quando estava em conversa com a “Zunta Cloçon”. A são-tomense de 20 anos de idade, que é apaixonada pela literatura, teve uma história de vida muito sofrida.

Mirian de Deus ficou órfã de pai e mãe desde muito cedo. Foi num acidente de viação que Miriam perdeu, quando tinha cinco anos de idade, os seus pais.

“Foi num acidente de carro, na vinda de um piquenique. Também estava no acidente, mas escapei por sorte ou Deus nesse caso”, desabafou a são-tomense que reside atualmente em Portugal.

Depois do ocorrido, a jovem foi acolhida pelos seus familiares mais próximos. Viveu com a irmã, avó, tio, prima, acabando mais tarde por ser acolhida pelo Lar das Irmãs.

“Eu sempre achei que seria cantora; então começava a escrever as minhas letras para quando fosse cantar. E quem escreve letras, escreve poemas”, confessou.

Órfã de pais em tenra idade, a são-tomense decidiu refugiar-se no mundo da literatura. “Eu sempre usei a escrita para afogar as minhas mágoas mais profundas; seja através de letras, poemas ou histórias que criava através das circunstâncias que me encontrava”, lembrou.

Mirian escreve poemas, livros infantis, livros sobre o desenvolvimento pessoal e ciência. Atualmente está escrevendo o livro “Pérolas Soltas”.

“O livro pérolas soltas vai ser uma realização e uma oportunidade de eu mostrar o meu potencial para que mais pessoas me ajudem a divulgar o meu trabalho”, explicou.

Alguns livros desta jovem ainda não foram publicados por razões financeiras. “Procuro apoio para publicar [os livros]”, afirmou a escritora são-tomense.

 

Esta jovem tinha o sonho de ser cirurgiã. A causa da morte dos seus pais bem como a perca de alguns entes queridos eram a sua motivação.

“Perdi várias outras pessoas por traumatismos cranianos e seria minha forma de ajudar as pessoas. Mas acredito que esse sonho ficou para trás”, sublinhou.

Em 2018, Mirian foi beneficiada de uma bolsa de mérito da fundação Calouste Gulbenkian. Em Portugal, não conseguiu fazer o curso que pretendia (cirurgiã), decidiu estudar Bioquímica, uma vez que “sempre fui boa a química e biologia”.

Atualmente nas terras portuguesas, a escritora frequenta o último ano de formação. Diz pretender fazer mestrado.

“Hoje tudo que eu mais quero é impactar as pessoas através dos meus livros e através da minha área de formação”, concluiu.

A são-tomense pretende disponibilizar em breve um site de compras para os que desejam ter acesso aos seus livros. É possível contactá-la através da sua página do Faceboook: “Escritora Mirian de Deus”.

Compartilhar :

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.