Hospital recusa a fazer exame na menina alegadamente violada pelo padrasto

A violação de menor é um caso que tem estado a assolar São Tomé e Príncipe, e recentemente teve mais um caso do fenómeno no país. Trata-se de uma menor de 5 anos alegadamente violada pelo padrasto.

Segundo o relato da tia da menina no programa “Anda pligo”, o padrasto disse na polícia que realmente tentou violar a menina e ficou preso 4 a 5 dias.

“Fizemos queixa na policia e ele afirmou que tentou violar a menina…Fomos para o ministério público fizemos a queixa. O caso foi para o tribunal e eu que sou a tia que fiz a queixa não fui chamada para dar depoimento”.

O caso foi entregue ao Ministério público que recusa a prosseguir com o caso alegando falta do exame médico que comprova a violação.

“Na sexta-feira fomos para ministério público, mandaram-nos ir para casa por causa de exame médico que não temos”

E por sua vez os médicos recusaram a fazer o exame por medo de serem implicados no processo uma vez que serão chamados para prestar declarações no ministério público. “ Fui a maternidade disseram que já não fazem isso, fui ao posto de saúde também disseram que não fazem isso, só fazem em caso de agressão física, fui no ASPF queriam colaborar mas só que a médica estava a viajar e eles não fizeram nada”.

Mais um caso de abuso sexual de menor no país que merece atenção das autoridades competentes.

 

Compartilhar :

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.