Porquê estudar no estrangeiro?

José Vaz Quaresma, jovem são-tomense, estudante na Rússia nos contou a sua história e a sua fantastica aventura, ele nao teve medo, ultrapassou todas as barreiras e hoje estuda no exterior.


       Não há ano letivo que passe, sem que milhares de alunos deixem o conforto das suas casas e o país que sempre conheceram, para embarcar na aventura académica e pessoal que é, estudar no estrangeiro. Antes de começar a fazer as malas, há que pensar bem nas vantagens e desvantagens de estudar no estrangeiro, mas eu, de tão ânsioso que estava, só pensei nas vantagens e tem sido esse o pensamento que me mantém firme na minha decisão até à data presente. 

      Alguns meses depois de receber a confirmação da bolsa de estudos para a Russia, parti. Como é comum na maioria dos estudantes africanos, escolhi a Universidade Russa de Amizade entre os Povos «RUDN», uma excelente universidade, com uma reputação boa no mercado nacional e internacional. Para além disto, a RUDN University é também conhecida por ter formado muitos dirigentes de África e outros continentes. Atualmente, encontro-me no segundo ano do curso de Publicidade e Relações Públicas e, graças à elevada capacidade dos professores e do próprio método da universidade, tenho vindo a absorver bem os conteúdos.

      Estudar no estrangeiro é cada vez mais uma opção, sobretudo pelo enriquecimento pessoal, que permite passar por experiências internacionais, em contexto diferente. É evidente que, para estudar no estrangeiro, não basta escolher uma escola ou universidade, num outro país qualquer, agarrar as malas e partir. Há que considerar uma série de fatores determinantes como o contacto com uma nova cultura, a troca e partilha de conhecimentos, que fortalece muito o saber, aprendizado e o aperfeiçoamento de outras línguas, que, hoje em dia, são bases de aceitação em qualquer posto de trabalho. Estudar no estrangeiro implica contactar com sistemas educativos distintos, ter a possibilidade de frequentar alguns dos mais conceituados estabelecimentos de ensino, desenvolver independência e sentido de responsabilidade, viajar e conhecer pessoas novas. Tudo isto, culmina com a valorização académica e profissional – uma mais-valia para o Curriculum Vitae e carreira profissional – e na aquisição de experiência internacional, que pode funcionar como um elemento diferencial em processos de recrutamento futuros.

       De forma mais simples, estudar no estrangeiro, envolve aprender a desenrascares-se sozinho e a tomar conta de ti próprio, tratares da tua roupa, alimentação e casa. Embora isto possa parecer uma desvantagem, a verdade é que em pouco tempo percebemos que não há nada como ser auto-suficiente. É uma experiência que provavelmente muda a vida de cada um, porque teremos recordações, memórias e lições de vida inesquecíveis. Para ser bem-sucedido nesta aventura, nada melhor que estar preparado para o melhor e para o pior. Por isso, antes de te pores a caminho, analisa as vantagens e desvantagens de estudar no estrangeiro, para perceber se terás ou não perfil para aguentar esta aventura.

Compartilhar :

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: