Profissionais da comunicação social estatal de STP estão em greve por tempo indeterminado

Os jornalistas e técnicos da Comunicação Social estatal de São Tomé e Príncipe nomeiadamente, Radio Nacional, TVS e STP-Press iniciaram na manhã de hoje, 06 de abril , uma greve por tempo indeterminado, reivindicando melhoria salarial.

“Iniciamos hoje uma greve geral a nível da comunicação social por tempo indeterminado tal como estava previsto no pré-aviso de greve entregue há dias ao governo” disse o representante do sindicato dos jornalistas e técnicos da Comunicação Social, em declarações a STP-Press.

“Não houve consenso nas últimas negociações com o governo face ao nosso caderno reivindicativo”, disse o representante do Sindicato de jornalistas, sublinhando que “ vamos ainda hoje prosseguir com as negociações em busca de entendimento”.

Além de reivindicação para aplicabilidade da nova grelha salarial dos jornalistas e técnicos da comunicação social, o sindicato tem exigido ainda as autoridades a implementação da proposta da alteração do artigo 14º do estatuto de carreira da classe, após a sua devolução por parte do Presidente da República.

Actualmente, na comunicação social são-tomense um jornalista com formação superior [licenciatura] recebe por mês pouco mais de 3.000,00 Dobras ( cerca de 122 Euros) e um de base ( profissional iniciante ) recebe 1.500,00 (cerca de 60 Euros) mensais.

De recordar que, antes do início das negociações, o Presidente do Sindicato dos Jornalistas e Técnicos da Comunicação Social, Helder Bexigas, admitiu que caso não se chegue a um acordo esta terça-feira, será decretada a greve nos órgãos públicos de comunicação social.

“Se não chegarmos a um consenso, aí não há outra alternativa que não a paralisação. A partir de quarta-feira, se não tivermos os trabalhos finalizados, a partir de quarta-feira estaremos em greve”, defendeu Helder Bexigas.

Compartilhar :

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.