Sociedade civil indignada com o aumento do abuso sexual de menores em STP

Tendo em conta o aumento do abuso sexual de menores em São Tomé e Príncipe, com destaque para o recente caso em que uma menor de 5 anos foi abusada sexualmente pelo seu padrasto, a plataforma da sociedade civil contra violência sexual organizou uma manifestação na tarde de ontem, quarta-feira (18.03), de modo a chamar a atenção das autoridades competentes sobre este flagelo.

“Diga Não ao Abuso Sexual de Menores!”. Esta foi uma das frases que estava escrita num dos cartazes deste protesto.  Jessica Neves, membro da sociedade civil, aproveitou para exprimir o seu descontentamento.

“Nós já tivemos vários encontros com as autoridades e parece que a situação só piora. Parece que quem pode ajudar as coisas está agindo muito lentamente. O abusador continua na rua. Se ele está na rua, ele vai voltar a cometer. Chega, chega de abuso sexual de menores! As autoridades têm que funcionar”, lamentou.

O protesto constitui-se numa passeata de carro, tendo como ponto de partida o Hotel Omali Lodge, passando pelo Hospital Dr. Ayres de Menezes, Ministério da Saúde, Procuradoria Geral da República, Ministério da Justiça, Tribunal, Gabinete do Primeiro-ministro, com término na Praça da Independência.

Esta manifestação foi impulsionada pelo recente caso em que uma menor de 5 anos foi alegadamente abusada sexualmente pelo seu padrasto. O caso foi parar no Ministério Público que se recusou a prosseguir com o caso, pondo o acusador em liberdade, alegando falta de exames médico. Os familiares da vítima afirmaram que o hospital e o posto médico se recusaram a fazer esses mesmos exames.

“Nós não percebemos o motivo de até hoje a menina não ter sido vista por um médico, para se obter o exame médico… para acusar o agressor. É inadmissível o agressor continuar a solta e a menina ter que conviver com o agressor”, afirmou Deise Pereira, uma das participantes.

Mesmo com as diversas campanhas de sensibilização contra o abuso sexual de menores, o certo é que este flagelo tem vindo a aumentar ultimamente em São Tomé e Príncipe.

Compartilhar :

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.