STP acolhe auscultações nacionais sobre a educação transformadora

As auscultações nacionais sobre a educação transformadora em São Tomé e Principe teve o seu início hoje, 13 de junho no Hotel Pestana e tem como objectivo discutir sobre as linhas de acção temáticas prioritárias que asseguram o envolvimento público.

A cerimónia de abertura do  workshop foi presidida pela ministra da Educação e Ensino Superior que apontou “progressos notáveis” na educação, mas considerou que a “fraca qualidade” do setor constitui “um grande desafio para o Estado” dada a baixa percentagem de aprendizagem no país.

“Em São Tomé e Príncipe foram alcançados nos últimos anos progressos notáveis no setor da educação onde a taxa de escolarização aumentou significativamente”, começou por destacar a ministra da Educação citando estudos que dão conta que “em 2017, 93% das crianças em idade escolar estavam matriculadas na escola contra 56% em 2008”.

“Ainda assim o país vem sentido desigualdades e fraca qualidade da educação, situação que constitui um grande desafio para o Estado”, avançou Julieta Rodrigues.

Segundo ainda a ministra da Educação, em termos de desigualdades, “as crianças que vivem em ambiente cujas as famílias são vulneráveis, ou seja, de baixa renda ou até mesmo de extrema pobreza não conseguem frequentar a escola, nem a pré-escola.”

“À esta barreira acrescenta-se muitas crianças que necessitam da educação especial e que ainda não foram incluídas no sistema de ensino nacional”, sublinhou.

A referida auscultação nacional que vai decorrer até sexta-feira surge no âmbito da preparação da participação de São Tomé e Príncipe na Cimeira de Educação Transformadora convocada pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres para setembro, em Nova York. E é uma organização conjunta do Ministério da Educação e Ensino Superior – São Tomé e Príncipe com o apoio das Nações Unidas – São Tomé e Príncipe, UNICEF São Tomé e Príncipe , PAM, UNESCO e o Gabinete do Coordenador Residente.

Compartilhar :

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.