Terra vai atingir 8 mil milhões de habitantes dentro de uma semana

A Terra vai atingir os 8 mil milhões de habitantes na próxima semana, mais concretamente a 15 de novembro, de acordo com as Nações Unidas: mais de três vezes mais do que os números registados em 1950, quando o planeta albergava 2,5 mil milhões de pessoas.

A ONU garantiu que a população vai continuar a crescer nas próximas décadas, com a esperança média de vida a subir até aos 77,2 anos até 2050: assim, as previsões apontam para 8,5 mil milhões em 2030, 9,7 mil milhões em 2050 e 10,4 mil milhões na década de 1980. No entanto, a taxa de crescimento da população mundial, após um pico na década de 1960, desacelerou drasticamente para menos de 1% em 2020, garantiu Rachel Snow, responsável da ONU, um número que deverá cair para 0,5% até 2050, devido ao declínio contínuo nas taxas de fertilidade.

Em 2021, a taxa média de fecundidade foi de 2,3 filhos por mulher ao longo da sua vida, abaixo dos cerca de 5 em 1950, segundo a ONU, que projeta que esse número caia para 2,1 até 2050.

“Chegámos a uma fase no mundo em que a maioria vive num país que está abaixo da fertilidade de reposição”, ou cerca de 2,1 filhos por mulher, apontou Snow. O declínio da fecundidade, assim como o aumento da esperança média de vida, vai fazer com que a proporção de pessoas com mais de 65 anos deve aumentar de 10% em 2022 para 16% em 2050, o que terá impacto nos mercados de trabalho e sistemas nacionais de pensões.

A ONU projetou que mais da metade do crescimento populacional até 2050 virá de apenas oito países: República Democrática do Congo, Egito, Etiópia, Índia, Nigéria, Paquistão, Filipinas e Tanzânia, o que levou alguns especialistas a apontar que as diferenças demográficas regionais podem desempenhar um papel significativo na geopolítica daqui para frente. Nesse cenário de mudança, os dois países mais populosos, China e Índia, vão trocar de lugares no pódio já em 2023, revelou a ONU.

Fonte: Multinews

About Post Author

Compartilhar :

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.